gg.bet

Terceira queda consecutiva nas horas trabalhadas confirma retração da atividade industrial

Rendimento real do trabalhador e nível de uso da capacidade instalada também registraram queda

As horas trabalhadas na produção caíram 0,4%, o emprego recuou 0,3% e a massa real de salários na indústria diminuiu 0,9% em maio na comparação com abril na série livre de influências sazonais. O rendimento real do trabalhador e o nível de utilização da capacidade instalada também diminuíram, o que confirma a retração da atividade na indústria. As informações são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada nesta quinta-feira (3), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

"Já são três meses seguidos em que há retração de todos os indicadores, à exceção do faturamento real", observa a pesquisa. O faturamento aumentou 0,3% em maio frente a abril, na série com ajuste sazonal. Mas registra queda de 1,9% na comparação com maio do ano passado. A utilização da capacidade instalada ficou em 80,7% no mês de maio, nível 0,2 ponto percentual inferior ao de abril. Foi a quarta queda consecutiva do indicador, que está 2 pontos percentuais abaixo do registrado em maio do ano passado. 

"Há um conjunto de fatores que impede o crescimento da atividade industrial", analisa o gerente executivo da Unidade de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca. Entre esses fatores, exemplifica Fonseca, estão os altos custos de produção e a dificuldade de acesso ao crédito. Ouça aqui.

ANÁLISE SETORIAL – A utilização da capacidade instalada aumentou em maio frente ao mesmo mês de 2013 em apenas seis setores dos 21 pesquisados pela CNI. As maiores quedas foram registradas nas indústrias de impressão e reprodução, veículos automotores, alimentos e produtos de metal. 

Ainda na comparação com maio do ano passado, as horas trabalhadas na produção e o rendimento médio real dos trabalhadores recuaram em 12 setores. O emprego aumentou em 13 setores e o faturamento real cresceu em dez. Na indústria de máquinas e equipamentos, todos os indicadores analisados pela CNI caíram em relação a maio do ano passado. O faturamento recuou 5% e as horas trabalhadas na produção diminuíram 2,4%. De acordo com a pesquisa, o quadro mais negativo foi registrado no setor de veículos automotores, em que o faturamento caiu 15,3%, as horas trabalhadas recuaram 15,9% e a massa real de salários diminuiu 12,9%. 

BAIXE O PDF - Acesse a pesquisa Indicadores Industriais de maio de 2014 na página da publicação.

Relacionadas

Leia mais

Estão abertas as inscrições para o Prêmio CNI de Economia
Edital SENAI SESI de Inovação seleciona 31 projetos industriais de empresas de todo o país
Medo do desemprego cresce pela quinta vez consecutiva, aponta pesquisa da CNI

Comentários

gg.bet Mapa do site