betano

Governo vai reduzir burocracia e ampliar incentivos à inovação, dizem ministros

No 5º Congresso Brasileiro de Inovação na Indústria, ministros antecipam medidas que serão anunciadas em breve pelo governo federal

Ministros recebem exemplar do livro "Inovação em Cadeia de Valor de Grandes Empresas – 22 Casos"

Além da apresentação dos resultados obtidos pelas empresas que investem em projetos inovadores, o 5º Congresso Brasileiro de Inovação na Indústria é palco para o anúncio de medidas de incentivo ao desenvolvimento de novos produtos e processos no Brasil. Promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o evento, que ocorre nesta terça-feira (3) em São Paulo (SP), recebeu os ministros da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. Eles anteciparam medidas que serão anunciadas em breve pelo governo federal.

Em sua quinta edição, o Congresso destaca a mobilização das empresas para inovar. Pela manhã, foi apresentado o projeto Inovação em Cadeia de Valor de Grandes Empresas – 22 Casos (assista aos vídeos), que relata as experiências inovadoras de 22 das maiores indústrias brasileiras e com atuação no país. Segundo o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, o objetivo é mostrar para outras indústrias a importância “do que a inovação é capaz de fazer para tornar a empresa cada vez mais forte e mais competitiva”.

As pequenas e médias empresas são importantes atores nesse processo, destacou o presidente do Sebrae Luiz Barretto. “O Brasil não terá inovação para valer se não incorporar as micros e pequenas empresas”, afirmou Barreto.

“O Brasil não terá inovação para valer se não incorporar as micros e pequenas empresas” - Luiz Barretto

Depois de destacar os avanços dos últimos anos em melhoria no ambiente de incentivo à inovação, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp, citou a publicação na edição desta terça-feira do Diário Oficial da União de decreto da presidente Dilma Rousseff que permite o funcionamento da Embrapii. Ele informou, ainda, que o governo anunciará, em breve, um programa específico para a biotecnologia com o objetivo de organizar e potencializar a base científica e tecnológica instalada no país para atender às demandas de inovação das empresas.

Raupp disse também que a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) reduzirá o prazo de resposta inicial às propostas enviadas pelas empresas para obter empréstimos. Segundo o titular da pasta da Ciência e Tecnologia, um outro avanço deve ocorrer no marco legal. O tema está em discussão no Congresso Nacional e a expectativa do governo é de que “nos próximos meses tenhamos pronta uma nova proposta de regulação das atividades de ciência, tecnologia e inovação”, antecipou.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, disse que, ainda neste mês, o governo anunciará a existência de 120 mil vagas dentro do programa Pronatec Brasil Maior, que oferece cursos de formação profissional para trabalhadores da indústria. “O governo está inteiramente imbuído em colocar o tema da inovação em todos os programas do governo federal”, ressaltou o ministro.

Segundo Pimentel, o Brasil possui atualmente “a maior quantidade de instrumentos disponíveis para promover a inovação”. “Nunca houve um momento com tantas ferramentas e instrumentos em funcionamento em benefício da inovação. Isso tudo começou com o empenho do empresariado brasileiro em criar a Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI)”, lembrou.

Relacionadas

Leia mais

Ministros da Educação e da Ciência e Tecnologia participam do 5º Congresso Brasileiro de Inovação na Indústria
Decreto presidencial permite funcionamento da Embrapii
Inovação ajuda empresas a ganhar mercado, reduzir custos e conservar o meio ambiente

Comentários

betano Mapa do site